Setênios

A terceira grande fase 42 aos 63 anos

30 de outubro de 2017

SÉTIMO SETÊNIO – 42 a 49 anos.

Esta é a fase altruísta. Agora aprendemos a fazer diferente e, de repente, se antes éramos mestres, nos tornamos novamente aprendizes.

Começamos a nos abrir para o mundo de uma nova forma, percebemos que o mundo tem POSSIBILIDADES. Surgem novas iniciativas e desenvolvemos nossa própria visão de mundo.
A partir deste setênio acontecem transformações espirituais profundas. Novamente, se observarmos atentamente o gráfico, além do declínio da linha física, acontece um espelhamento da fase da adolescência. Este espelhamento tem muito a ver com a famosa frase “a vida começa depois dos 40”.

É, justamente, um período com muitos questionamentos, profundas mudanças e conflitos. Muitos retomam experiências interrompidas da adolescência, ocasionado a conhecida crise dos 40 anos. Essa crise é maior ou menor, dependendo do quanto estamos conectados com nossa realidade maior, nosso propósito de vida.

Voltando novamente para o gráfico, podemos ver nesta idade uma bifurcação da linha em três possibilidades, ou três caminhos:
Se estamos identificados somente com a realidade física, como beleza, sucesso profissional, financeiro, etc, esta idade nos parece um esforço cada vez maior para “dar conta de tudo”, das plásticas, dos exercícios, das finanças, do trabalho, etc, mantendo tudo no seu devido lugar.
Se o nosso foco está somente na capacidade de realização profissional, no destaque social, a crise pode vir de uma forma grave e súbita, como doença, crise financeira, perda de emprego, etc. Isto tudo para repensarmos a trajetória e criarmos novos parâmetros.

E a terceira linha ascendente do gráfico aponta para uma nova possibilidade para o futuro. Agora, depois dos 40 anos, conscientes das limitações físicas, junto com a maturidade psíquica, podemos dar uma oitavada, e seguir rumo ao verdadeiro sentido da vida, que é a realização da nossa missão.
As fases anteriores são etapas de um meticuloso e grande preparo.

Sugestão de exercício:
Descreva sua crise deste setênio.
Quais são as pessoas que mais lhe ajudaram neste período?
Anote as qualidades que você enxerga nelas.
Onde você vê estas qualidades em você?

 

OITAVO SETÊNIO – 49 a 56 anos.


Este Setênio é a fase moral. Com mais consciência dos níveis superiores de consciência, mais conscientes da espiritualidade, nos sentimos mais próximos de Deus.

Começamos a entender que o “mundo precisa de mim”. Surge uma necessidade de dedicarmos parte de nós aos outros e assumirmos uma atitude cooperativa. Ensinamos a quem precisa e quer aprender.
É uma fase onde devolvemos para o mundo aquilo que recebemos e processamos das mais diferentes formas. Nós devolvemos ao mundo nossa sabedoria, permeada com a nossa essência. Tal como os frutos de uma árvore, que, se bem nutrida e bem cuidada, nos devolve seus doces frutos no tempo certo.
É a fase do Social, quando enxergamos e experimentamos a interdependência entre todos os seres. Olhamos a vida de um novo patamar, desenvolvendo uma visão à distância.

Sugestão de exercício:
No seu caderno faça um desenho desta fase do seu novo olhar.

 

NONO SETÊNIO – 56 a 63 anos.

Esta é a fase mística, onde a individualidade agora se dedica ao bem geral. Agora, A VIDA E O MUNDO FAZEM SENTIDO.

É uma fase de integração de todas as nossas experiências. Olhando de um panorama mais amplo, surge uma compreensão e uma aceitação de todas as vivências, dos bons e dos maus momentos da vida, das dificuldades e dos acertos também.

Agora voltam os valores da nossa infância, reconectando-nos com nossos pais, com a religiosidade, com a nossa biografia. Como numa tapeçaria, vemos o padrão perfeito, que fomos tecendo ao longo da vida e que reconhecemos como uma grande, única e particular aventura.

Sugestão de exercício:
Faça um desenho ou uma colagem que represente sua tapeçaria.

Observação:
É lógico que a vida continua, as vezes durante longos anos. A partir desta idade, a individualidade entra numa época de colher os frutos maduros e jogar na terra novas sementes. Estas, ela nem sempre vê brotar e desenvolver. Mas o importante para a trajetória da alma, é que elas estejam na terra no inverno, para poderem brotar na primavera seguinte, na próxima encarnação, para desenvolvimento das futuras e novas experiências.

Fotos Marina Stein

Como no esquema do diagrama com as três grandes fases de desenvolvimento, aqui na imagem, nosso desenvolvimento está representado pela árvore inteira.
A primeira parte da imagem representa o período dos 0-21 anos, que tem a ver com o desenvolvimento de toda estrutura básica. O contato com o chão, o sustento tirado da terra através da alimentação, o lugar adequado para se desenvolver, o sol, a umidade, o meio ambiente, etc.

A segunda parte da imagem representa o período dos 21-42 anos. Aqui na imagem é representada como a parte do meio da árvore. É um tempo em que o mundo e a nossa essência nos impulsiona para cima e para o alto, sempre em direção da LUZ. É o preparo e o desenvolvimento para uma frondosa copa para as futuras flores e frutos.

A terceira parte da imagem representa o período dos 42-63 anos. Aqui na imagem temos a árvore inteira, que representa missão cumprida, com flores e frutos muita beleza, e uma forte presença, ocupando seu lugar no mundo.

É interessante observar a semelhança do desenvolvimento da árvore, desde uma semente, com o nosso próprio desenvolvimento, que, também passando por várias fases e intempéries, assim cumpre o seu objetivo e seu destino.
Outra observação que cabe aqui é como o processo do crescimento e desenvolvimento é constantemente alimentado por duas grandes forças: uma centrífuga, de dentro para fora, e outra, centrípeta, de fora para dentro. A individualidade vai assim se fortalecendo, se moldando, adaptando e impondo sua essência às forças externas, para deixar a sua marca no mundo.

Você também pode gostar de