Artigos

Orientação e Livre Arbítrio

13 de agosto de 2019

Todas as espécies viventes no planeta Terra seguem uma orientação Divina, uma orientação que também podemos dizer, vem do GRANDE PLANO DA EVOLUÇÃO. Um plano para a continuidade e a sobrevivência das espécies. Existe um plano, uma programação para cada coisa existente no plano material. Como podemos observar, numa semente, por exemplo.

No GRANDE PLANO DA EVOLUÇÃO, cada coisa tem o seu lugar e a sua função única, que se complementam e formam então o TODO.

E é só através da observação que podemos enxergar o desdobramento do grande plano e também enxergar os resultados de cada coisa. Mesmo muitas vezes não entendendo o significado, o processo, e a maneira, de como isso tudo funciona, de como isto nos afeta individualmente. E principalmente de como somos coparticipantes nesse processo criativo que se chama VIDA.

Isso se dá por uma grande diferença que nós os humanos, temos à frente dos outros seres viventes do planeta. A nós humanos foi dado uma qualidade especial que é o Livre Arbítrio. Este que tanto nos liberta, e que por outro lado nos aprisiona. Por tanto, uma faca de dois gumes, que merece nossa atenção e uma profunda reflexão.

A destruição de planeta que estamos assistindo e vendo ao nosso redor, vem do livre arbítrio e ego centrismo dos humanos. Estes que se consideram superiores ao resto da criação e não fazendo parte dela. Não tem consciência da sua função e nem do seu papel dentro dela.

Destroem a o planeta, a sua própria casa, totalmente inconscientes. Muito parecido com um processo que ocorre no corpo com uma doença autoimune. Uma espécie de ataque a si mesmo. E por isso mesmo o preço é tão alto.

Todos vamos ser afetados pela falta de água, pela má qualidade de ar, pela falta do verde e dos alimentos, pelas intempéries, e pelos excessos de sol e de chuva. Isso mencionando apenas algumas questões fundamentais, que tem outros graves desdobramentos econômicos financeiros. O jeito como o nosso mundo funciona, no nosso dia a dia.

Agora, como seres humanos conscientes olhando para este panorama com atenção, começamos a enxergar que o mesmo livre arbítrio é também a oportunidade, porta para melhorarmos a situação global. Não somos impotentes, frente aos desafios. Por conta do livre arbítrio, não somos vítimas, temos escolhas, precisamos voltar ao equilíbrio, ouvindo a Orientação. A natureza da Orientação é a de pacientemente aguardar pela nossa solicitação. Precisamos ter humildade e pedir pela orientação. Ela nunca falha, mas precisamos estar atentos com a escuta.

 Seguramente temos um lugar e um papel nessa mudança que pede a máxima urgência. A nossa mudança individual, vai fazer uma diferença junto com outras atitudes conscientes. Estas por sua vez também são orientadas pelo Poder Divino, e não pelo pequeno ego que sempre é autocentrado. Só pensa em si.

Podemos salvar o planeta com pequenas atitudes que somadas fazem uma grande diferença. Precisamos sair do discurso e partir para as atitudes. Podemos nos juntar e criarmos soluções conjuntas, somando talentos e expertises.

Por outro lado, espiritualmente falando, esta escolha através do livre arbítrio está ligada à Lei do Carma, fisicamente falando, é a Lei de Causa e Efeito.

Então moralmente as escolhas erradas ou melhor incorretas feitas na ignorância, tem o seu preço e nos vão ser cobradas no futuro. Faz tempo que os humanos já sabem dessa lei, mas esta nunca esteve tão evidente como nos dias atuais.

A boa notícia, é que podemos reverter o débito em crédito. Porque cada ação consciente, cada atitude consciente, se transforma em uma reversão nesse sistema de destruição, em que o ser humano inconsciente se meteu. Fazendo escolhas conscientes, vamos transformando o débito em crédito, nos tornando agentes de cura e de transformação na nossa vida pessoal e também na cura planetária.

Precisamos deixar a preguiça de lado, que nos impede de fazer a nossa parte. E então sim, de dormentes, ignorantes, e inconscientes, sermos acordantes, despertos e conscientes. Não precisamos salvar o mundo, mas sim, fazer a nossa parte no grande plano.   

Você também pode gostar de